O futuro do dinheiro num mundo digitalizado

O futuro do dinheiro num mundo digitalizado

Enquanto os bancos centrais de muitos países efectuam vários estudos sobre os CBDC (Central Bank Digital Currency), o Banco de Pagamentos Internacionais (BIS) e 7 bancos centrais publicaram um novo relatório sobre os CBDC. O BIS, que emitiu uma declaração conjunta com os Bancos Centrais do Canadá, Reino Unido, Japão, Europa, Suécia, Suíça e a Fed, definiu critérios importantes para os CBDC. O relatório apresenta as principais características e os estudos de viabilidade dos CBDC.

Os Bancos Centrais e o BIS, CBDCs sublinharam os 3 princípios mais importantes;

  • Trabalhar com numerário e outras formas de dinheiro de uma forma flexível e inovadora
  • Prosseguir objectivos políticos mais amplos sem comprometer a estabilidade monetária e financeira.
  • As características apoiam a produtividade e a inovação.

Sir Jon Cunliffe, Vice-Governador do Banco de Inglaterra, afirmou que este relatório constitui um grande passo em frente na identificação dos princípios comuns e das principais características do trabalho dos bancos centrais no âmbito do CBDC e que um relatório desta natureza é necessário para o bom funcionamento do sistema CBDC. Cunliffe disse que este relatório fornece um quadro que ajudará os objectivos de política pública dos bancos centrais, bem como a forma como os bancos centrais devem fornecer dinheiro e apoiar os sistemas de pagamento num mundo em rápida digitalização. Ele disse que o grupo de bancos centrais formou um forte consenso internacional e este consenso será uma luz orientadora para cada estudo sobre CBDC e design CBDC.

Com base nestes princípios, o grupo definiu quais deveriam ser as principais características dos CBDCs;

  • Ser suficientemente forte e seguro para manter a integridade operacional.
  • Entrega ao utilizador final, a título gratuito ou a muito baixo custo, sob uma forma conveniente e adequada.
  • Apoiado por um quadro jurídico claro e pelas normas necessárias.
  • Ser adequado para incentivar a concorrência e a inovação no sector privado.
     

Benoît Cœuré, Diretor do Centro de Inovação do BIS, afirmou que estes princípios ajudarão a conceber um sistema de pagamentos mais resistente, eficiente, inclusivo e inovador. O Comissário referiu ainda que, embora se reconheça que não existe uma solução única para todos os casos, este relatório constitui um bom ponto de partida para um maior desenvolvimento.
No entanto, o grupo afirmou que, para desenvolver os CBDC e efetuar uma análise política prática, é necessário empenhar-se em ensaios técnicos práticos e que dá prioridade à aceleração do desenvolvimento tecnológico relacionado com os sistemas de pagamento e com a moeda através de um trabalho conjunto, iniciando já estes estudos. Além disso, Christine Lagarde, Presidente do Banco Central Europeu, fez as seguintes declarações: “À medida que a tecnologia altera os nossos hábitos de pagamento, a tarefa dos bancos centrais é proteger a confiança das pessoas no nosso dinheiro. Os bancos centrais devem complementar os seus esforços locais através de uma estreita cooperação e orientar o trabalho dos CBDC de uma forma que estabeleça princípios fiáveis e incentive a inovação. O relatório publicado é uma prova convincente desta cooperação internacional.”

Tal como afirmou Lagarde, Presidente do Banco Central Europeu, neste mundo em rápida digitalização, verificamos que a integração dos sistemas de pagamento e da moeda no sistema digital se tornou uma prioridade para muitos bancos centrais e organizações internacionais em todo o mundo. Embora os CBDC não estejam incluídos no estatuto de moeda criptográfica, estima-se que os activos digitais serão positivamente afectados por estes desenvolvimentos. Além disso, os recentes anúncios de que o programa-piloto da Coreia do Sul entrará na fase final em 2021, de que o Japão lançará estudos sobre o CBDC em 2021 e o anúncio da OCDE de que realizará uma reunião com os países do G20 sobre a tributação das criptomoedas indicam que a moeda fará grandes progressos no sentido da digitalização nos próximos tempos.